Aleitamento Materno tudo o que você precisa saber

Mão Amamentando

O aleitamento materno é a alimentação do bebê com o leite materno, que pode ser exclusivo, ou seja, alimentar o recém nascido apenas com o leite da mãe, ou ocorrer em conjunto com outras fontes de alimento.

Geralmente, a recomendação para as mães é que elas façam um aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses de vida do bebê e depois utilizem a amamentação como complemento até os dois anos de idade. Essa recomendação é devido à importância do leite materno para os bebês, ainda mais quando ele vem diretamente do seio da mãe.

Benefícios do aleitamento materno

O aleitamento materno é considerado por médicos, especialistas e estudiosos, o melhor método de alimentar um bebê. Os efeitos positivos podem ser vistos não somente no bebê, mas também na mãe.

Benefícios para os bebês

O leite materno é um alimento extremamente nutritivo. Ele ajuda a proteger o bebê contra infecções, alergias, algumas doenças crônicas e cânceres infantis, além de também atuar contra a síndrome da morte súbita dos bebês.

O aleitamento materno também permite o contato visual e a proximidade física entre a mãe e a criança, o que reforça o vínculo entre mãe e filho.

Benefícios para a mães

É comprovado que mães que praticam o aleitamento materno possuem níveis mais baixos de estresse e mal humor. A prática também pode ajudar na recuperação do pós-parto e, no longo prazo, diminuir riscos de obesidade, da osteoporose, de câncer do seio e dos ovários.

O que dizem as pesquisas sobre aleitamento materno?

Até o momento, as pesquisas são consistentes em comprovar os benefícios do aleitamento materno na área de nutrição da criança, e na saúde também.

Alimentar o bebê com leite materno tem um impacto importante nas taxas de morbidade e mortalidade, ainda mais quando olhamos o cenário de países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil.

aleitamento materno

Algumas pesquisas apontam que o aleitamento materno pode influenciar até mesmo no desenvolvimento de infecções gastrointestinais e respiratórias, incidência de doenças crônicas que surgem na infância, tais como diabetes, doença celíaca e doença de Crohn, além de algumas patologias infantis.

Boa parte da proteção imunológica dos bebês é decorrente da amamentação. As crianças que são amamentadas têm menos incidência de alergias durante a amamentação e pelo resto de sua infância.

O aleitamento materno também tem um papel muito importante no desenvolvimento social e emocional da criança. Os estudos mostram que crianças que tiveram aleitamento materno exclusivo até os dois anos de idade ou mais, são mais sociáveis, socialmente seguras e apresentam maior pontuação em escalas de desenvolvimento.

Por fim, o leite materno para as crianças pode ajudar na prevenção de obesidade infantil e durante a adolescência, uma condição cada vez mais presente nos jovens.

Como se preparar para amamentar?

O primeiro lugar que as mães podem se informar para a preparação para a amamentação são os centros de saúde de sua cidade. Neles, profissionais podem instruir as mulheres sobre boas técnicas de amamentação e ajudar as mães iniciantes a aprender a lidar com essa nova fase. A OMS desenvolveu os “Dez passos para o aleitamento materno bem sucedido”, que é o guia oficial dos centros de saúde para orientar as mulheres em relação à amamentação.

Além disso, você pode buscar informações com outras mulheres que já tiveram essa experiência, profissionais especializados, entre outras pessoas. O ponto de atenção, nesses casos, é entender que a experiência da amamentação costuma ser diferente entre as mulheres. Enquanto algumas passam por dificuldades, outras conseguem não ter problemas para amamentar, mesmo nas primeiras vezes.

A primeira amamentação

aleitamento materno

A primeira vez de uma mulher ao amamentar o seu filho(a) é um momento único, mas pode causar muita ansiedade, especialmente para as mães de primeira viagem, que ainda não sabem como é a experiência do aleitamento materno.

Geralmente, a amamentação ocorre ainda na sala de parto, e o ideal é que o bebê se alimente do leite da mãe ainda nas primeiras horas de vida. Quando o bebê entra em contato com a pele da mãe, a mulher já é estimulada a liberar o hormônio responsável pela lactação (ocitocina) e o leite começa a descer pelo seio.

O leite nos primeiros dias do pós-parto é chamado de colostro. Ele tem algumas características que o diferem do leite dos períodos seguintes, pois os fatores que protegem os bebês contra doenças estão presentes em maior quantidade, e funcionam como a primeira vacina da criança.

O que saber antes de amamentar?

Apesar de ser chamado de um processo natural, nem todas as mulheres sentem a amamentação como algo “instintivo”. Por isso, é normal que as mães tenham dúvidas sobre como se preparar para a amamentação e como devem agir durante a alimentação do filho.

Primeiramente, ao contrário do que muitas pensam, os seios não exigem nenhum preparo antes da amamentação. O seu corpo já vai cuidar naturalmente de qualquer preparo que você precise. Geralmente, as mães precisam mais de preparo mental do que físico para a amamentação!

Um fato importante para as mães voltarem sua atenção é a “pega” do bebê. A forma como o seu filho(a) vai pegar o peito determina boa parte do sucesso da amamentação. Quando a “pega” do peito não é adequada, a criança pode receber pouco leite e ainda esticar demais a pele dos seios, provocando rachaduras, fissuras e até sangramentos. Por isso, procure sempre posicionar a criança de uma forma favorável e que também fique confortável para você. Use uma almofada para amamentação e procure se sentar em uma cadeira ou poltrona para amamentação, isso ajuda você a ter postura correta e não prejudicar sua saúde. Se você gostar de usar um sutiã de amamentação, procure usar um de tecido natural.

Para que procura a famosa concha para amamentação, que promete auxiliar na amamentação, proteger de fissuras, evitar vazamento de leite etc. Muitos profissionais de saúde não recomendam o produto por oferecerem risco de favorecer a proliferação de bactérias. Seu uso indevido pode machucar ainda mais as mamas.

(119 Posts)

Inessa Sato Mamãe do Vini, Consultora do Sono materno-infantil ✨ajudando famílias a dormir melhor 📩inessa@caiunosono.com.br

Deixe uma resposta