Mamãe de primeira viagem, saiba o que esperar

Caiu no sono mãe de primeira viagem o que esperar

Coisas que toda mamãe de primeira viagem precisa saber!

Ser uma mamãe de primeira viagem nunca é fácil. Muitas dúvidas e inseguranças passam na mente que tem terá o seu primeiro filho, além da ansiedade já naturalmente trazida com a gestação.

Porém, a mulher pode tornar tudo isso mais fácil se preparando antes. E uma das melhores maneiras de se preparar é se informando.

Para ajudar, que tal saber algumas coisas importantes e relevantes para a mamãe de primeira viagem?

7 conselhos para a mamãe de primeira viagem

1. Paciência e insistência na amamentação

O leite materno é o alimento mais completo para os bebês durante os primeiros meses de vida – tanto que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva até os 6 meses.

Mas muita gente ainda não sabe, incluindo gestantes, é que o recém-nascido não nasce sabendo mamar. Os pequenos precisam fazer um movimento específico para conseguirem sugar o leite do seio, o que pode levar alguns dias.

Algumas mães ficam preocupadas e desistem. Acabam, então, dando leite na mamadeira.

Como obter o alimento pela mamadeira não exige esforço por parte do bebê, há riscos de que ele nem tente mais pegar o seio da mãe. Portanto, é importante que a mamãe de primeira viagem mantenha a tranquilidade, pois recém-nascidos podem demorar até 2 dias para conseguirem sugar o leite materno.

E esse tempo não causará nenhuma deficiência ao pequeno. A natureza é sábia e, por isso, os recém-nascidos nascem com uma reversa energética que os nutre por cerca de 72 horas após o parto. 

Além disso, amamentar realmente pode ser dolorido. Os bebês, conforme vão crescendo, podem causar fissuras no seio da mãe. Caso isso aconteça, veja com o médico o que pode ser feito para a cicatrização desses pequenos ferimentos.

Mas nada se compara a importância de amamentar o bebê, se possível, exclusivamente, com o leite materno até os 6 meses de vida.

Mamãe de primeira viagem

2. Mães que não conseguem seguir o “protocolo”

Se mesmo insistindo e tentando de tudo para amamentar o bebê exclusivamente no seio, a mamãe de primeira viagem não consiga fazer isso, não deve se entristecer. Em geral, muitas mães que não conseguem alimentar o filho no seio até os 6 meses acabam por se sentir “menos mãe”.

Isso prejudica a autoestima da mulher e impacta diretamente na qualidade de vida do bebê. Muitos fatores estão envolvidos nos casos em que uma mãe não consegue “cumprir” essa regra da amamentação exclusiva.

Portanto, realmente, em alguns casos é preciso complementar a amamentação ou até suspendê-la. E isso não deve deixar com que a mulher se sinta culpada ou diminuída.

Caso esse acontecimento interfira demais no estado emocional da mamãe de primeira viagem, é importante que o parceiro lhe dê apoio. Em situações extremas (como uma depressão), procurar ajuda médica/psicológica.

3. Não acredite em amor à primeira vista

Nem toda mãe ama o seu bebê assim que ele nasce. E não há nada de anormal nisso.

Pelo contrário, no caso das mães que têm o seu primeiro bebê, a sensação inicial pode ser mesmo de estranhamento com o recém-nascido. Isso porque há muita diferença entre o período da gestação e os primeiros dias de vida do bebê.

O recém-nascido não deixa de ser uma pessoa nova, que muda toda a rotina da mulher e do lar. Portanto, a mamãe de primeira viagem deve ter ciência de que levará alguns dias ou semana até que ela sinta todo aquele amor que nutria pelo seu bebê quando ele estava ainda na barriga.

Caso essa sensação de estranhamento ultrapasse meses e interfira nos cuidados da mãe com o seu filho, aí pode se tratar de uma situação mais preocupante. E se isso ocorrer, peça orientações ao seu médico.

Mamãe de primeira viagem

4. Mamães que se sentem tristes

A mulher nunca esteve tão feliz em sua vida enquanto esperou o seu primeiro bebê por 9 meses e eis que algumas mães, ao terem a criança nos braços, sentem um misto de alegria e tristeza. Pois saiba que isso costuma ser mais comum do que você imagina.

Além do que foi citado no item anterior, a própria fisiologia feminina está passando por mudanças e alterações hormonais. Isso pode impactar no humor, fazendo com que a mãe fique triste em alguns momentos, apesar da felicidade de estar com o seu bebê.

Com o passar dos primeiros meses, essa tristeza tende a passar. Porém, se esse sentimento se tornar muito intenso ou permanecer por mais de 3 meses, por exemplo, pode ser um sinal de alerta de uma depressão pós-parto.

Nesses casos é preciso comunicar ao médico, que estudará o melhor procedimento para resolver o problema.

5. Adapte a nova rotina

Todo mundo sabe que uma nova vida traz diversas mudanças, em especial, na rotina da mãe. Mas a vivência disso só se dá na prática.

Assim, é importante que a mamãe aproveite o puerpério – também conhecido como quarentena – para se adaptar a essa nova rotina. O recém-nascido, nessa fase, requer muitos cuidados, mas sempre que possível, a mamãe de primeira viagem deve, sim, relaxar e descansar (até mesmo para se refazer e prosseguir com os cuidados dos quais que o bebê tanto necessita).

6. Não tenha vergonha de pedir apoio

Não se sobrecarregue! As primeiras semanas e até os primeiros meses são realmente atribulados para a mamãe de primeira viagem.

Por isso, não tenha receio ou vergonha de pedir ajuda, caso tenha dificuldades em relação aos cuidados com o bebê ou a outras coisas. Primeiramente, peça auxilio ao pai da criança ou a pessoas próximas, que você sabe que pode contar com elas, como familiares.

Mamãe de primeira viagem

7. Abra mão de alguns compromissos

Principalmente para a mamãe de primeira viagem é difícil dar conta de tanta coisa: cuidar do bebê, trabalhar, cuidar da casa e outros compromissos. Assim, se você tem que fazer tudo isso praticamente, sozinha, abra mão de algumas coisas.

Deixar a faxina da casa para a próxima semana não deve ser problema. Não comparecer a um encontro por estar desgastada também não.

Você deve priorizar o seu bem-estar e o do bebê. Portanto, alguns compromissos podem ser adiados sem problemas ou sensação de culpa. Lembre-se de que a sua vida mudou!

(119 Posts)

Inessa Sato Mamãe do Vini, Consultora do Sono materno-infantil ✨ajudando famílias a dormir melhor 📩inessa@caiunosono.com.br

Deixe uma resposta