Como saber se estou grávida: os principais sintomas da gravidez

Sintomas_da_Gravidez
Sintomas_da_Gravidez

Entender os sintomas da gravidez pode ser difícil até para quem já passou por uma gestação.

Além disso, saber se estamos grávidas é uma das coisas que mais nos fazem pesquisar e ler sobre o assunto!

Nós, mulheres, costumamos passar por várias transformações no corpo durante apenas um mês, com nosso período menstrual, e essas alterações são ainda maiores quando falamos do começo de uma gestação.

Mas quando podemos saber se a gravidez é certa? E quais os sintomas da gravidez que apontam que seu corpo está no processo para gerar uma nova vida?

O que são sintomas da gravidez?

Os sintomas da gravidez são as mudanças que o corpo da mulher passa a partir do momento em que ela engravida, para se adaptar ao bebê que vai se desenvolver dentro de sua barriga.

Quando os sintomas começam a aparecer?

Geralmente, as mulheres pensam que o primeiro sinal da gravidez é o atraso na menstruação.

Na verdade, os primeiros sintomas podem aparecer antes mesmo de se notar algum atraso no ciclo menstrual, mas, eles são tão sutis, que dificilmente notamos sem procurar.

Quais são os sintomas da gravidez?

No geral, a gravidez tem diversos sintomas que variam de acordo com cada mulher. Alguns exemplos comuns podem incluir:

  • Corrimento vaginal cor-de-rosa (vestígios de sangue, que são o resultado da entrada do espermatozoide no óvulo e do deslocamento deste até o útero);
  • Variações de humor;
  • Aumento da vontade para urinar;
  • Cólica e inchaço do abdômen;
  • Enjoos, vômitos ou salivação excessiva;
  • Tonturas, sono e dor de cabeça;
  • Mamas que ficam mais sensíveis e inchadas;
  • Cansaço fácil;
  • Espinhas e pele oleosa.

Vamos detalhar os principais sintomas da gravidez, como podemos identificá-los e como eles afetam nosso dia a dia.

Atraso menstrual

Sintomas_da_Gravidez

Por definição, a menstruação é a descamação das paredes internas do útero quando não há fecundação.

Todos os meses (ciclos menstruais) o corpo da mulher se prepara para engravidar. O endométrio (mucosa que recobre a face interna do útero) se forma para receber o possível feto que será fecundado, e nosso útero passa a ser uma casa pronta para abrigar seu convidado.

No entanto, quando esse convidado não chega (a mulher não engravida, ou seja, não há fecundação), toda a preparação que o útero fez é descartada para dar início ao novo ciclo menstrual.

Esse descarte é a menstruação. O sangue é resultado do endométrio despregando do útero (e nossas cólicas são resultado desse puxado para tirar a força toda a preparação para o hóspede que nunca chegou).

Então, quando finalmente o convidado esperado pelo útero da mulher chega, o endométrio não é descartado e não ocorre a menstruação, pois ele é utilizado para nutrir o bebê.

Sensibilidade e aumento das mamas

As mudanças nos seios geralmente começam a partir da quarta ou sexta semana de gravidez. Esse sintoma ocorre porque o processo de gestação desenvolve as glândulas mamárias para a produção do leite e amamentação.

Na produção do leite, o hormônio chamado prolactina atua aumentando as glândulas mamárias e a vascularização da região das mamas, o que causa um certo “inchaço” dos seios e torna a área mais dolorida.

A dimensão do aumento vai depender da genética e do corpo de cada mulher. Algumas registram aumentos que quase não são notados, enquanto outras relatam aumentos de até duas vezes o tamanho original das mamas.

Enjoo

Os enjoos de gravidez costumam iniciar em torno da quinta ou sexta semana de gestação. Esse sintoma da gravidez é um dos mais famosos por ser aquele que causa o maior desconforto entre as mulheres grávidas.

Sintomas_da_Gravidez

O mecanismo que causa o enjoo ainda não foi totalmente compreendido pela medicina.

Sabemos que ele está relacionado com o nível do hormônio HCG no corpo da mulher, que também é responsável por ajudar nos outros sintomas da gravidez.

Esse hormônio tem a função de criar um ambiente favorável para o desenvolvimento do bebê.

No entanto, altos níveis de HCG retardam a digestão da gestante e fazem com que o alimento demore mais a chegar no intestino.

Para combater os enjoos, alguns alimentos se mostram bastante efetivos, como o gengibre.

Além disso, algumas medicações específicas podem ajudar, caso o desconforto da mulher seja muito alto, mas sempre com a recomendação e o acompanhamento de um médico.

Intestino preso

O intestino preso pode causar dores e inchaço abdominal.

Esse sintoma da gravidez é responsabilidade do hormônio progesterona, que atua na manutenção da gravidez durante o primeiro trimestre.

Porém, apesar de ser ótimo para o bebê, a progesterona afeta a mãe reduzindo o trânsito intestinal, ou seja, o bolo alimentar demora mais tempo para percorrer o caminho por todo o intestino grosso e se tornar as fezes.

A boa notícia é que esse é um sintoma que geralmente se restringe ao primeiro trimestre da gravidez!

Maior vontade de urinar

O aumento da vontade de urinar é simplesmente uma questão de divisão de espaço dentro do corpo.

Enquanto o útero aumenta de tamanho para abrigar o bebê, ele reduz o espaço que a bexiga pode ocupar e a aperta.

Isso faz com que a mulher possa ter vontades mais frequentes de urinar, mesmo sem muito líquido na bexiga, pois a cada semana que passa, o espaço da bexiga fica menor.

No entanto, após algumas semanas, a bexiga consegue se adaptar, fazendo desse sintoma mais comum apenas meio da gestação.

Instabilidade emocional

Sintomas_da_Gravidez

Quando uma mulher está grávida ela costuma ficar mais sensível e chorar com mais facilidade que o normal.

Para alguns especialistas, isso está relacionado com o acúmulo de líquidos no corpo, que pressiona o cérebro e causa alterações na área do humor com mais facilidade.

Além disso, todo o processo da gravidez é muito novo para a gestante (especialmente as de primeira viagem).

Os próprios sintomas da gravidez fazem com que o emocional da mulher fique abalado e a mudança de hormônios pode causar muita confusão para a futura mãe.

Conteúdo:

*publicamos o que consideramos dicas e sugestões seguras, todo o conteúdo da Caiu no Sono são fornecidos “no estado em que se encontram”, sem garantias expressas ou implícitas. Esta publicação não se destina a uso como uma fonte de aconselhamento médico.

(117 Posts)

Inessa Sato Mamãe do Vini, Consultora do Sono materno-infantil ✨ajudando famílias a dormir melhor 📩inessa@caiunosono.com.br

Deixe uma resposta