Quais são os principais cuidados na gravidez?

Cuidados no gravidez | por Caiu no sono

Como são seus cuidados na gravidez? A gestação, ao mesmo tempo que é um período mágico na vida de qualquer mulher, pode ser também um tempo de preocupação constante com a segurança do bebê.

Os primeiros três meses de gravidez costumam ser os mais importantes para a formação da criança e também é a fase mais crítica para abortos e malformações decorrentes de doenças e deficiências nutricionais maternas.

Para garantir uma gestação tranquila algumas medidas precisam ser tomadas como prevenção, por parte da mãe, para garantir uma gravidez saudável para o filho.

Assim, quais são os principais cuidados na gravidez que uma mulher deve ter para evitar surpresas ou complicações inesperadas?

Os cuidados antes da gravidez

Em uma situação ideal, a mulher deve começar com os cuidados para a gestação antes mesmo de engravidar.

Na fase pré-concepcional é recomendado que os pais façam acompanhamento com um obstetra para analisar os antecedentes genéticos dos dois e levantar possíveis riscos que a gravidez pode ter de casos de aborto a problemas de fundo genético, como é o caso da Síndrome de Down.

Além disso, esse é o momento de imunizar a mãe contra doenças que poderiam comprometer a formação do bebê, como é o caso da rubéola e da hepatite B.

Mulheres com hipertensão devem procurar equilibrar sua pressão arterial e mulheres diabéticas devem controlar o nível glicêmico (nível de absorção de glicose no sangue). Caso você tenha tendência de engordar também é recomendada uma dieta para manter o peso em limites aceitáveis durante a gravidez, de forma a não comprometer o desenvolvimento do bebê.

Cuidados na gravidez para afastar os riscos de aborto

cuidados na gravidez

Por conta da carga genética do pai que o embrião carrega consigo, material genético que é estranho para o organismo materno, existe o risco de que o sistema imunológico da mãe rejeite o embrião por considerá-lo um corpo estranho, provocando um aborto precoce.

No entanto, na maioria dos casos o bebê consegue “driblar” o sistema imunológico da mãe e chegar ao útero para que comece a ser nutrido pela placenta.

Nesse pequeno começo, logo após a concepção, as mulheres que já tiveram abortos espontâneos devem ficar atentas para evitar o risco de aborto precoce. Em alguns casos, é necessário tomar uma medicação após a concepção. Esses casos devem ser discutidos e as informações repassadas para o médico responsável.

Existe também uma condição de dilatação excessiva do colo do útero, que pode levar a casos de abortos naturais. Quando identificada, essa situação pode ser corrigida por meio de uma cirurgia simples que deve ser feita o quanto antes para aumentar as chances de sucesso da gravidez.

Grávidas com condições especiais

Os primeiros meses da gestação costumam ser críticos para mulheres com alguns distúrbios que alteram a circulação do sangue ou sejam auto-imunes. Exemplos desses distúrbios são: diabetes, hipertensão, problemas de tireóide ou de hipófise.

Essas complicações afetam a mulher em todos os meses, mas os três primeiros são os mais críticos nos cuidados na gravidez, pois a liberação de hormônios no corpo das mulheres por conta dessas disfunções prejudica o bom desenvolvimento do bebê.

Nesses casos o médico deve ser prontamente informado e os pais devem ficar atentos a quaisquer sinais de desconforto da mãe para procurarem auxílio.

Mantenha a carteirinha de vacinação em dia

Diversas vacinas devem ser tomadas pela mãe para evitar que possíveis doenças prejudiquem o crescimento e desenvolvimento do feto.

1. Influenza (gripe)

cuidados na gravidez

Esta é uma das vacinas mais importantes durante a gestação, porque ela protege do vírus da gripe normal e também de quadros mais graves como internações por bronquite e pneumonias.

A dose da vacina pode ser prescrita em qualquer mês da gravidez ou até em 45 dias após o nascimento do bebê em uma dose única.

2. Tríplice Bacteriana (dTpa-Difteria, Tétano e Coqueluche)

A dose desta vacina é recomendada para gestantes de 27 a 36 semanas e é disponibilizada na rede pública de saúde.

Ela protege contra a Coqueluche e contra o tétano neonatal, infecção que pode ocorrer com instrumentos inadequados e contaminados usados para cortar o cordão umbilical. A importância em tomar essa vacina está no aumento dos casos de Coqueluche em recém-nascidos e lactentes antes de 1 ano de idade, que pode causar complicações mais graves nas crianças.

3. Hepatite B

A Hepatite B não tem sintomas bem definidos, mas a contração da doença pode gerar vômito, dores musculares, náuseas e mal-estar. Infelizmente a infecção durante a gravidez é uma via comum de transmissão da mãe para o filho, por isso a mãe deve se prevenir com a vacina para não afetar a criança.

Os bebês que se infectam com a Hepatite B correm o risco de apresentar cirrose hepática e câncer hepático na fase adulta.

A vacina é administrada em 3 doses, que devem ser aplicadas preferencialmente a partir do segundo trimestre da gestação. A boa notícia é que a aplicação é disponível gratuitamente em postos de saúde.

Faça exercícios físicos

Exercícios físicos, além de serem bastante benéficos para melhorar a circulação e facilitar a nutrição do bebê, também ajudam a aliviar eventuais desconfortos que as mudanças no organismo da mulher trazem.

Para as gestantes que não são acostumadas a fazer exercícios físicos a recomendação é começar apenas depois do primeiro trimestre da gravidez, pois esse período é o mais crítico e que exige mais cuidados na gravidez.

cuidados na gravidez

Os exercícios realizados devem ser aqueles de baixo impacto e leves, como caminhadas, natação e hidroginástica.

Alimentos durante a gravidez

Os cuidados na gravidez com alimentação: caso a mãe não se alimente bem, as carências nutricionais durante a gestação podem comprometer o desenvolvimento do feto.

Alguns nutrientes são essenciais para o bom desenvolvimento do bebê e a manutenção da saúde da mãe:

  • Ácido fólico: evita DFTN (defeito no fechamento do tubo neural do bebê) e pode ser encontrado em alimentos como espinafre, brócolis, laranja, fígado bovino, lentilha etc.
  • Vitaminas do complexo B: são ótimas para equilibrar a energia da mãe e para o desenvolvimento neurológico e cerebral da criança. Alimentos para encontrar as vitaminas do complexo B são peixes, ovos, leite e cereais integrais.
  • Cálcio: regula os hormônios do bebê e garante a boa formação óssea. Além disso, sua carência leva à anemia e predispõe o bebê a ter baixo peso e à ocorrência de hemorragias, pois o cálcio é a base para a composição do sangue. Alimentos para adquirir cálcio incluem carnes, vegetais de cor verde escura e grãos em geral.

(119 Posts)

Inessa Sato Mamãe do Vini, Consultora do Sono materno-infantil ✨ajudando famílias a dormir melhor 📩inessa@caiunosono.com.br

Deixe uma resposta