Quais os cuidados na gravidez com adenomiose?

Cuidados na gravidez com adenomiose | por Caiu no sono

Você sabe quais os cuidados que deve ter na gravidez com adenomiose?

A adenomiose é um problema conhecido por causar dores que são comparáveis às do parto. Muitas mulheres desenvolvem essa condição ao longo da vida, mas algumas podem passar a maior parte do tempo sem saber que são portadoras da doença.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada dez mulheres no mundo pode sofrer com a doença, que pode não manifestar os sintomas. No Brasil, há uma estimativa de que 150.000 casos sejam registrados anualmente.

Além das condições de saúde que a doença pode causar nas mulheres, existe uma preocupação ainda maior em como a doença pode afetar a gravidez.

Vamos entender melhor o que é adenomiose, como ela é causada e quais os cuidados na gravidez com adenomiose.

O que é adenomiose?

O útero da mulher é dividido em duas partes principais: o endométrio e o miométrio. O endométrio é a parte do útero na qual o futuro embrião vai crescer, muito vascularizada e cheia de glândulas, enquanto o miométrio é responsável por realizar as contrações durante o período do parto.

A endometriose é um distúrbio no qual o tecido que normalmente reveste o útero cresce fora do espaço que deveria, como nas trompas, ovários ou na cavidade abdominal, causando muita dor de cólicas e irregularidades menstruais.

Já a adenomiose pode ser definida como uma espécie de endometriose que atinge apenas miométrio (músculo do útero). Ela é uma doença bastante semelhante à endometriose, causando dores e incômodos para as mulheres portadoras.

A doença se caracteriza por um acúmulo do endométrio (mucosa que recobre a parte interna do útero) fora do local adequado, que seria a cavidade uterina. Ou seja, essa condição traz uma concentração de endométrio em uma parte muito sensível do útero da mulher.

A adenomiose é mais frequente em mulheres com mais de 35 anos e que já tenha passado por uma gravidez. No entanto, algumas pessoas mais jovens e sem filhos também podem sofrer dessa doença.

gravidez com adenomiose

Quais são os sintomas da adenomiose?

Por conter sintomas relativamente “comuns” para algumas mulheres durante a menstruação, como um grande fluxo de sangue e cólicas fortes, algumas mulheres não chegam a desconfiar que são portadoras da doença.

Geralmente, podemos colocar na lista de sintomas da adenomiose:

  • Cólicas excessivamente fortes (causadas pelas irritações no miométrio);
  • Fluxo menstrual com coágulos e alto sangramento;
  • Dores durante o ato sexual;
  • Dores ao defecar.

Caso uma mulher venha a apresentar esses sintomas, é muito importante que um médico seja consultado para realizar os exames adequados.

O que causa a doença?

A adenomiose pode possuir diversas causas, que vão desde mais de um parto durante a vida reprodutiva da mulher até uma primeira menstruação precoce, por exemplo, antes dos 10 anos de idade.

Mulheres mais velhas também possuem uma tendência maior a desenvolver essa condição, por conta de uma maior exposição aos hormônios femininos, principalmente o estrogênio.

Quando a doença é causada por um parto, as mulheres passam a sentir os sintomas de 1 a 3 anos após dar à luz. Isso geralmente acontece em casos de parto com o miométrio cortado (uma cesariana), mas as mulheres com parto normal também possuem chances de desenvolver a doença.

Como a doença é diagnosticada?

Em casos de suspeita de adenomiose a detecção da doença pode ser feita por ultrassonografia transvaginal ou ressonância magnética, considerada a melhor maneira de observar o músculo interno do útero. Porém, por muitas vezes ser confundida com outras doenças pélvicas o diagnóstico para a adenomiose pode ser demorado.

Depois os exames de imagem, é possível que o médico solicite uma biópsia endometrial para testar o tecido. Esse exame vai descartar outras possíveis causas dos sintomas, como miomas.

No entanto, apesar de haver várias formas de diagnosticar de maneira quase certa, o diagnóstico definitivo só é feito quando a mulher faz uma histerectomia (remoção do útero) e o(a) médico(a) pode observar o órgão.

gravidez com adenomiose

Gravidez com adenomiose. Posso engravidar?

Assim como no caso da endometriose, não existe um motivo concreto para que a mulher portadora de adenomiose tenha dificuldade de engravidar. No entanto, alguns estudos mostram que a condição pode proporcionar contrações involuntárias fora do período menstrual, o que pode facilitar um aborto com pouco tempo de implantação do feto.

Além disso, o útero sofre alterações funcionais que podem ter como consequência a infertilidade. Há casos em que doença pode atrapalhar até mesmo a reprodução assistida.

Ou seja, a adenomiose não é um impedimento para que a mulher possa engravidar. Mas se ela não for tratada, pode causar problemas de fertilidade e impedir a implantação do bebê.

  • A perda da estrutura normal da musculatura uterina pode alterar o transporte dos espermatozoides pelo útero;
  • Alterações na circulação de sangue da parte mais interna do útero (endométrio) podem impedir a implantação do embrião no útero;
  • Interfere no transporte do óvulo pelas tubas até ao útero.

Nesta situação, apesar de poder causar vários problemas, a doença não é um impedimento e não deve ser motivo para mulheres que têm adenomiose desistirem de engravidar. Com o tratamento certo elas podem ser tornar mães assim como as outras mulheres.

Quais são os cuidados na gravidez com adenomiose e como ela é tratada?

A maior parte do tratamento para mulheres com adenomiose é feito à base de hormônios (progesterona), por ela ser uma doença que é causada pelo aumento dos níveis de estrogênio.

No caso desse tratamento ocorre a inibição da menstruação e reduz as dores e os efeitos da doença. O médico também pode optar por indicar uma cirurgia para o tratamento da adenomiose. Nesse caso se aplica a retirada total do útero, que não é a solução que as mulheres que pretendem engravidar procuram.

gravidez com adenomiose

Assim, para as mulheres que sofrem com adenomiose e ainda querem engravidar, a maior indicação é utilizar tratamentos com anti-inflamatórios e medicamentos para aliviar a dor durante o período menstrual.

Para as pacientes que possuem nódulos de adenomiose, também chamados de adenomiomas, uma pequena cirurgia para retirada parcial ou total das lesões pode ser muito benéfica, o que vai melhorar as chances de gravidez e os sintomas da doença (sangramento excessivo e fortes cólicas menstruais). As opções para fazer a cirurgia envolvem via laparoscópica e também por meio de cirurgia robótica.

Conteúdo:
*publicamos o que consideramos dicas e sugestões seguras, todo o conteúdo da Caiu no Sono são fornecidos “no estado em que se encontram”, sem garantias expressas ou implícitas. Esta publicação não se destina a uso como uma fonte de aconselhamento médico.

(119 Posts)

Inessa Sato Mamãe do Vini, Consultora do Sono materno-infantil ✨ajudando famílias a dormir melhor 📩inessa@caiunosono.com.br

Deixe uma resposta